segunda-feira, fevereiro 29, 2016

Fantasmas


O nosso corpo tem vários orifícios pelos quais podem entrar diversos sujeitos. Se entrarem sujeitos entram forçosamente predicados. E, se calhar, complementos, directo e indirecto, também.
 
Sou o complemento indirecto.
 
Já fui apanhada.
 
Pronto.
 
Lá se foi parte do meu cérebro. Ficou uma sensação desagradável, semelhante a um dente arrancado. Já não sou eu. Sou uma espécie de eu, com gelatina no cérebro. Gelatina amarela. Aquele amarelo do quadro de Van Gogh. Intitulado malmequeres ou girassóis.
 
Pronto, lá se foi outro pedaço de cérebro.
 
Lá se misturam as cores. Os estragos causados por um AVC...