sexta-feira, maio 28, 2010

Torquato da Luz


O livro está lindo.



Tive o privilégio de estar na sua apresentação.


Parabéns, Torquato.


Da sua leitura, escolhi este "limiar":








LIMIAR



Para escrever importa ter vivido

mas nós apenas conhecemos

o limiar da vida:

existe sempre um espaço proibido

a impedir que avistemos

a meta da corrida.



Nós jamais vamos além do sonho

como se o nosso destino

fosse ficarmos aquém;

um fantasma medonho

a que desde menino

não escapa ninguém.



Por isso a nossa escrita é mera espuma

entre o nada e coisa nenhuma.

quinta-feira, maio 13, 2010

Rosas no meu Alegrete