quarta-feira, setembro 10, 2008

Histórias Lembradas - XX

O Padre Luís, naquele primeiro quartel do século XX, era exortado a cumprir o Jejum Eucarístico, que antecede a Sagrada Comunhão, o qual, na época, consistia na total abstinência de qualquer espécie de comida ou bebida, incluindo água, a partir da meia-noite.
Santa pessoa era o Padre Luís, venerado e adorado por todos os habitantes da sua pequena aldeia, encravada lá para as Beiras, ainda que ateus ou seguidores de outra religião que não a sua.
Gostava de conviver e à sua mesa, sempre farta, sentavam-se, não raras vezes, amigos que o ajudavam a degustar abundantes refeições acompanhadas de divinais néctares mais ou menos alcoólicos. Por mal dos seus pecados, este era o seu pecado, decerto venial, por complacência do seu Senhor. Refeições que, embora tendessem a prolongar-se, teriam impreterivelmente de terminar ao tocar das doze badaladas.
E quando todos os relógios da aldeia já há muito as tinham batido, o do Padre Luís permanecia teimosamente nas vinte e três horas, embora o seu brilhante pêndulo dourado tiquetaqueasse obedientemente no seu movimento contínuo, apenas molestado por um sistemático atrasar dos ponteiros também dourados.
Santa pessoa era o Padre Luís, que ainda hoje é lembrado na sua pequena aldeia, encravada lá para as Beiras.

1 Comentários:

Blogger Carlota disse...

Há regras que só servem mesmo é para não se cumprirem.
Beijinho.

quarta-feira, setembro 10, 2008 3:31:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home