sexta-feira, junho 27, 2008

Histórias Inventadas? [21]

De uma alcandorada vila da Beira Alta, partiu, um dia, para os Estados Unidos da América, uma personagem que, umas décadas mais tarde, no seu regresso, rica e poderosa, todos apelidariam de “o americano”, por lhe terem esquecido o nome ou por nunca o terem sabido e por o seu linguajar estar fortemente marcado por expressões e tonalidades diferentes das portuguesas.
Na sua vila, adquiriu, por bom preço, uma bela mansão, abandonada, há muito tempo, por estar assombrada. Fantasmas, ou outros espectros, gritavam, arrastavam grilhões, iluminavam janelas com cores fosfóricas, espalhando o medo por toda a população, que não ousava aproximar-se durante a noite.
Havia que mobilar a casa.
Lá para os lados de Oeiras, um belo palacete, de ilustre, mas falida família, foi posto em almoeda, com todo o seu belo e valioso recheio.
A oportunidade foi aproveitada.
O jornal, de maior circulação na época, barafustou em artigo que ocupava uma boa parte da última página. Que parecia impossível o Estado deixar sair para o estrangeiro obras de tanto valor e permitir que “um americano” adquirisse quase a totalidade do mobiliário.
Foram muitas as peças arrematadas. Tantas quantos os exemplares comprados do dito jornal.
Cada uma tem colada, em lugar escondido, o artigo do jornal, para que conste que o estrangeiro, neste caso, revelou-se ser apenas uma alcandorada vila da Beira Alta, onde uma casa assombrada se desassombrou.

2 Comentários:

Blogger Madalena disse...

Para muitos, A Beira Alta é muito estrangeira... Há lá turistas e sky... lol Mil beijinhos. Adorei. Todos os tugas, me too, gostam de concluir precipitadamente. Mil beijinhos. Vou rumo ao Sul, ver a minha mamã!

sábado, junho 28, 2008 10:24:00 da manhã  
Blogger Luisa Hingá disse...

Beijinhos Laura e Mada.

terça-feira, julho 01, 2008 1:06:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home