quarta-feira, outubro 17, 2007

Histórias Inventadas? [14]

O pincel despelara-se. O frasco de cola líquida ficara, assim, inoperante. Mas a burocracia militar não permitia que o assunto fosse resolvido em Angola. Impunha-se um pedido de autorização prévia, dirigido à Metrópole, com vista à aquisição de um novo instrumento que espalhasse a preparação glutinosa.
O Capitão iniciou, consequentemente, o preenchimento dos formulários necessários e procedeu ao respectivo envio para Lisboa, tendo este sido o seu primeiro trabalho, em Luanda.
Informado, entretanto, do correspondente preço na loja de artigos de papelaria mais próxima, tirou do próprio bolso a parca quantia necessária, ordenou a sua aquisição urgente, restabelecendo, desta sorte, a unidade necessária ao cabal funcionamento da operação de colagem.
Dois anos! Foi o tempo que a autorização de aquisição levou a chegar.
Ora então, que fazer, uma vez que já havia pincel?
Obviamente, o preenchimento de novos formulários, pedindo a anulação da autorização concedida. Este foi o último trabalho feito pelo Capitão, antes de terminada a sua comissão de serviço militar, em Angola.

10 Comentários:

Blogger Pitucha disse...

Esta história lembar-me a do Pepetela no seu livro "O cão e os caluandas"!
Beijos

quarta-feira, outubro 17, 2007 8:08:00 da manhã  
Blogger Laura Lara disse...

Pituxa
Mera coincidência. E qual é a história? Já agora, vou relê-la. A versão cá de casa intitula-se "O Cão e os Calús".
Beijinhos

quarta-feira, outubro 17, 2007 10:42:00 da manhã  
Blogger Pitucha disse...

Essa é a versão angolana! O meu título é da versão portuguesa...
(muito cuidadinho com esse livro!)
;-)
Beijos

quarta-feira, outubro 17, 2007 11:07:00 da manhã  
Blogger Laura Lara disse...

Pituxa
Cuidadinho? Porquê? O cão morde?
:-)))

quarta-feira, outubro 17, 2007 11:21:00 da manhã  
Blogger Carlota disse...

Desculpem intrometer-me nesta hilariante troca de afectos. LOL! :D
No que respeita à história, tenho a dizer que, nestas coisas da burocracia, a tradição ainda é o que era...

quarta-feira, outubro 17, 2007 2:47:00 da tarde  
Blogger Laura Lara disse...

Carlota
Intromissão sempre deliciosa!
Beijinhos

quarta-feira, outubro 17, 2007 3:39:00 da tarde  
Blogger Madalena disse...

Que belas pinceladas estas para colar o tempo que passou ao tempo que há-de vir... E cola-se a África a nós... Beijinhos para ti, querida Laurinha!

sexta-feira, outubro 19, 2007 1:20:00 da tarde  
Blogger Luisa Hingá disse...

Um dos cúmulos de burrocracia:
Tem que pedir uma certidão de nascimento da sua mãe para tratar do número de contribuinte para tratar desses papeis.
Nota: A minha mãe morreu em 1978 e eu levava certidões de casamento e de óbito...
Façqam o favor de ser felizes.

sábado, outubro 20, 2007 1:09:00 da tarde  
Blogger 125_azul disse...

Pois, não havia fax, telex, internet...
beijinhos, boa semana

segunda-feira, outubro 22, 2007 12:28:00 da tarde  
Blogger Skyman disse...

Não só a tradição ainda é o que era, como tem tendência para se refinar!
bjs

quarta-feira, outubro 24, 2007 12:07:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home