sexta-feira, julho 27, 2007

Respigos de África - LIII

Graves problemas de saúde de um familiar obrigaram-nos a vir à Metrópole. Uma amebiana, a que também ouvia chamar disenteria de sangue. A conselho do médico, Cristiano Nina, deveríamos ficar por cá. Abandonar Moçambique, abandonar a Beira.
Antes de virmos, o nosso cozinheiro, Sande, perguntara ansiosamente à minha Mãe se e quando regressaríamos. Que fosse passando pela Alfândega, que o meu Tio Domingos dar-lhe-ia notícias. E assim foi fazendo.
No dia em que o meu tio lhe disse que não voltaríamos, duas lágrimas, tristes, tristes, saltaram-lhe dos olhos.

2 Comentários:

Blogger Madalena disse...

Também conheci essa dedicação sem fronteiras. Lembrá-lo é muito bom, sobretudo num momento em que tudo parece reduzir-se ao material. Mil beijinhos, Laurinha!

domingo, julho 29, 2007 12:28:00 da manhã  
Blogger Pitucha disse...

E depois houve mais notícias do Sande?
Beijos

quarta-feira, agosto 01, 2007 1:58:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home