quarta-feira, janeiro 03, 2007

Respigos de África - XLVIII

Nunca o conheci. Lá, na Beira, em Moçambique, foi, durante muitos anos, cozinheiro do meu Avô. Excelente na sua arte de bem temperar os alimentos. Não havia igual. Chamava-se Junça, talvez Juça, já não sei. Nunca o meu Avô degustou tão saborosos manjares.
O seu dia de folga era o Domingo.
E, no seu calendário, não existiam Segundas-feiras.

- Então ontem não trabalhaste! Porquê? – perguntava o meu Avô.
- Patrão, ontem foi o meu dia de folga! – respondia ele.
- Ontem foi Segunda-feira, rapaz; a tua folga é ao Domingo.
- Não lembra, patrão...

Esse era o dia de recuperar da embriaguez dominical que lhe apagava por completo quatro ou cinco dias por mês.

13 Comentários:

Blogger Torquato da Luz disse...

Olha, Laura, eu acho que o Junça, ou Juça, "tinha esperto nos cabeça"...
Beijinhos.

quinta-feira, janeiro 04, 2007 6:50:00 da tarde  
Blogger Laura Lara disse...

Sem dúvida, Torquato!
Beijinhos

quinta-feira, janeiro 04, 2007 6:56:00 da tarde  
Blogger Luis Almeida Pina disse...

Que bom é reviver esses bons momentos de Moçambique.
Quanto aos comeres, eles os cozinheiros eram qualquer coisa de divinal, faziam pratos de chorar por mais.
Um abraço

sábado, janeiro 06, 2007 6:50:00 da tarde  
Blogger Laura Lara disse...

Agradeço a visita. Vou retribuir. Beijinhos

sábado, janeiro 06, 2007 9:46:00 da tarde  
Blogger Kalinka disse...

Depois da azáfama dos presentes de Natal, da caminhada desenfreada e decrescente para o Ano Novo, chega, sereno e mansinho o dia de Reis. Mas desde o dia 25 de Dezembro até ao dia 6 de Janeiro, há uma tradição que é genuinamente portuguesa, o cantar das Janeiras…

É maravilhoso ver os inúmeros grupos de pessoas que saem à rua, com frio, gelo e em alguns sítios até mesmo neve, para cumprir a tradição. Para ir de casa em casa, de porta em porta, de família em família, apenas para cantar e louvar os reis que visitaram o Deus-Menino.

É importante manter estas tradições que são tipicamente portuguesas, onde se cultiva o convívio e a alegria.

Abraços sempre.

domingo, janeiro 07, 2007 1:03:00 da manhã  
Blogger Luh disse...

Beijinhos e abaixo as rotinas...risos

domingo, janeiro 07, 2007 1:27:00 da manhã  
Blogger Luis Almeida Pina disse...

Bem então fomos vizinhos, eu morei na Rua Mere Amada, colado ao campo de golfe, em casa dos Mauritty, a Filha a Belinha jogou basquetebol no Ferroviário da Beira, e eu estudei no liceu, a partir de 1970, o meu pai trabalhava nos caminhos de ferro.

domingo, janeiro 07, 2007 9:05:00 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Eram célebres as bebedeiras dos "mecires" ao domingo e à segunda feira a ressaca. Bom lembrar!!!
beijinho
beirense

segunda-feira, janeiro 08, 2007 11:22:00 da manhã  
Blogger Laura Lara disse...

Kalinka e Luh
Muitos beijinhos beirenses

segunda-feira, janeiro 08, 2007 6:14:00 da tarde  
Blogger Laura Lara disse...

Luís
O mundo é pequeno. Um tio meu também trabalhava nos caminhos-de-ferro.
Beijinhos beirenses

segunda-feira, janeiro 08, 2007 6:15:00 da tarde  
Blogger Laura Lara disse...

Anónima Beirense
A ideia é mesmo essa: lembrar!
Beijinhos beirenses

segunda-feira, janeiro 08, 2007 6:17:00 da tarde  
Blogger Luis Almeida Pina disse...

Será que nos conhecia-mos, eu regressei a Portugal em fevereiro de 1976.
Eu ferquentava muito a casa do Doutor Caldinhas, que era prof. de Matemática.
Um abraço

terça-feira, janeiro 09, 2007 8:34:00 da manhã  
Blogger Laura Lara disse...

Luís
Não, não nos conhecemos. Saí da Beira antes de teres nascido.
Beijinhos beirenses

terça-feira, janeiro 09, 2007 11:42:00 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home