quarta-feira, janeiro 17, 2007

Acreditam?

Uma prima minha tinha uma criada que tinha uma prima que queria vir servir para Lisboa. Dezasseis anos vividos numa pequena aldeia trasmontana.
Eu, com três filhos pequenos, achei que far-lhes-ia boa companhia.
Chegou.
Magrita, pequena, borbulhagem nos braços e pernas, cabelo oleoso.
Primeiro passo: um bom banho. Que deslumbramento! Saboreou-o mais de meia hora e o seu aspecto mudou.
Segundo passo: escovar os dentes. Que deslumbramento! Era a primeira vez que o fazia.
Terceiro passo: começar a tomar vitaminas. Que deslumbramento! Ao fim de um mês, estava mais gordita e até os olhos pareciam ter adquirido um brilho mais azul.
Quarto passo: fazer o tratamento da borbulhagem que mais não era que sarna. Que deslumbramento! Vivera toda a vida com aquela comichão. A sua pele passou a ser lisa e bonita.
Quarto passo: aprender a fazer uma cama. Que deslumbramento! Dormira sempre com um cobertor por baixo e outro por cima. Nunca tinha visto lençóis.
Quinto passo: aprender a acender o fogão. Que deslumbramento! Acho que o ligou e desligou mais de cinquenta vezes seguidas.
Sexto passo: andar de elevador. Que deslumbramento! Rapidamente lhe perdeu o medo.
Sétimo passo: aprender a brincar com tantos brinquedos. Que deslumbramento! Principalmente o gravador que reproduzia as suas infindáveis cantigas.
Oitavo passo: conhecer a praia. Que deslumbramento!
Nono passo: inscrever-se no ensino nocturno, onde completou o segundo ano liceal. Que deslumbramento! Já poderia concorrer ao lugar de telefonista nos TLP.

Os filhos cresceram, a Dulce cresceu. Emigrou para a Suíça.

Todo este deslumbramento aconteceu no ano de 1967.

0 Comentários:

Enviar um comentário

<< Home