sábado, novembro 04, 2006

Respigos de África - XLV

A república onde o meu Pai viveu, quando chegou à Beira, em Moçambique, acomodava meia dúzia de rapazes. Cada um deles tinha o seu criado, que tratava das respectivas roupas e do quarto. As refeições eram tomadas em conjunto, sob gestão mensal rotativa de um dos elementos, e o custo dividido por todos.

Uma vez, decidiram ir dar um passeio, que os levaria a estar fora de casa durante todo o dia. Avisaram o pessoal, fizeram os preparativos e saíram bem cedo pela manhã. No entanto, circunstâncias imprevisíveis obrigaram-nos a regressar mais cedo. Chegaram pela hora do almoço e depararam com a seguinte cena.
Na sala de jantar. Sentados à mesa todos os criados. Cada um ocupava o lugar do seu patrão, cada um vestia roupas do seu patrão, cada um representava o papel do seu patrão e, num caso, até óculos usava como o seu patrão. Reproduziam os gestos, imitavam as vozes, os risos, enfim, as idiossincrasias de cada um. Com tal rigor e graça que mais pareciam um grupo de teatro magistralmente ensaiado.
A situação foi de tal forma hilariante que o meu Pai, sempre que narrava o acontecido, continuava o gozo que, pelo tamanho, não tinha ficado confinado àquele dia!

8 Comentários:

Blogger Torquato da Luz disse...

Caríssima Laura, isso parece saído de um romance. Obrigado pelo divertimento. Um beijo.

segunda-feira, novembro 06, 2006 9:00:00 da tarde  
Blogger Laura Lara disse...

Obrigada, Torquato, e uma boa semana.
Beijinhos

segunda-feira, novembro 06, 2006 11:58:00 da tarde  
Blogger 125_azul disse...

Mais uma acha para a fogueira das minhas saudades Beirenses...
No teu post anterior vi-me menina a fazer/sentir tantas das situações que descreves!
Ser grande só é bom quando se tem memórias destas para partilhar, não achas? Beijinhos, boa semana

terça-feira, novembro 07, 2006 9:17:00 da manhã  
Blogger Kalinka disse...

Laura
Há uns dias atrás deixaste um comment onde escreveste: as coisas que tu sabes e nos ensinas...não!!!
Minha querida isso digo eu...pois adoro ler-te para ter conhecimento de tantas e tantas coisas da cidade onde nasci e que de outra forma nunca saberia. Essa do carro cuba-cuba, nem me passava pela cabeça.
Como é bom «ainda» teres quem te conte essas histórias...
As minhas raízes em África têm apenas 58 anos de memórias, pois os meus Pais foram de cá para lá, há 58 anos e uns anos depois nasci eu...mas as tuas raízes são muito anteriores a esse tempo.
Muito obrigada por me fazeres reviver aqueles belos tempos. Beijo

terça-feira, novembro 07, 2006 11:22:00 da manhã  
Blogger Luh disse...

Eu li e fartei-me de rir... Era mesmo assim.
O que gostavam de beber os frascos de álcool...por exemplo.
Beijinhos

terça-feira, novembro 07, 2006 7:06:00 da tarde  
Blogger Laura Lara disse...

Azulita
Ainda bem que gostas.
Beijinhos beirenses

quinta-feira, novembro 09, 2006 9:38:00 da tarde  
Blogger Laura Lara disse...

Kalinka
Que bom que é recordar!
Beijinhos beirenses

quinta-feira, novembro 09, 2006 9:39:00 da tarde  
Blogger Laura Lara disse...

Luh
Frascos de álcool e até de água-de-colónia!!!
Beijinhos beirenses

quinta-feira, novembro 09, 2006 9:40:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home