quarta-feira, novembro 08, 2006

Histórias Lembradas - XIV

No tempo em que se podia bater nas crianças, sem receio de que ficassem traumatizadas.

Em Vale de Prazeres, bonita aldeia localizada na falda da Serra da Gardunha, nasceu e cresceu o meu Pai, no ano de 1911. Não havia água canalizada. As mulheres iam à fonte com os cântaros à cabeça. Deitados quando vazios, em pé quando cheios, bem assentes nas rodilhas. Lá iam em carreira, muitas vezes cantando, quase sempre intrigando, que havia sempre motivo, ainda que inventado.
O meu Pai, escondido numa qualquer esquina, com a sua fisga em riste, aguardava. Lá vinha a mulher com o cântaro cheio e lá disparava a pedra em trajecto bem certeiro. Mil cacos, um banho forçado, uma boa corrida até casa.
Esta história foi-me contada pela minha Avó.
Nem fazia ideia do número de cântaros que tinha pago.
Quando o meu Pai lhe aparecia com o chinelo dela na mão, que para poupar passos tinha logo ido buscar ao quarto, ela já sabia que era mais um cântaro e mais uma tareia.

- Eu não gostava de quebrar cântaros – dizia-me o meu Pai, com aquele brilho ladino no olhar verde, que nunca perdeu ao longo de oitenta e oito anos – eu gostava era de ver as mulheres todas molhadas, tanto que nunca fisguei a um cântaro vazio...

11 Comentários:

Anonymous Anónimo disse...

lol que malandreco!

quarta-feira, novembro 08, 2006 12:00:00 da tarde  
Blogger Pitucha disse...

Grande avô! E eu que nunca tive uma fisga...(das boas, das como devem ser!)
Beijos

quarta-feira, novembro 08, 2006 1:07:00 da tarde  
Blogger Xana disse...

E ainda pergunta a quem é que o seu neto sai!!!! ;)

quarta-feira, novembro 08, 2006 1:24:00 da tarde  
Blogger Periférico disse...

De pequenino.... ;-)

Beijos

quarta-feira, novembro 08, 2006 6:58:00 da tarde  
Blogger Luh disse...

Maroto como diz a minha pequenina...

quinta-feira, novembro 09, 2006 1:24:00 da manhã  
Blogger Laura Lara disse...

Ti
Era mesmo malandreco.
Beijinhos aos tri-tis

quinta-feira, novembro 09, 2006 9:35:00 da tarde  
Blogger Laura Lara disse...

Pituxa
É só fazeres uma...
Beijinhos

quinta-feira, novembro 09, 2006 9:35:00 da tarde  
Blogger Laura Lara disse...

Xana
Não entendo a pergunta...
Beijinhos

quinta-feira, novembro 09, 2006 9:36:00 da tarde  
Blogger Laura Lara disse...

Periférico
Pois!!!
Beijinhos

quinta-feira, novembro 09, 2006 9:36:00 da tarde  
Blogger Laura Lara disse...

Luh
A tua pequenina já sabe muito.
Beijinhos

quinta-feira, novembro 09, 2006 9:37:00 da tarde  
Blogger bia di sal disse...

Laura, bonita história que me fez lembrar uma do meu pai:::) pode ser que um dia também a coloque no blog.
Um beijinho beirense

sexta-feira, novembro 10, 2006 12:25:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home