segunda-feira, setembro 04, 2006

Respigos de África - XLIII

A noite estava escura. Lá em casa já todos dormíamos, quando a Fly começou a ladrar furiosamente. Ouviu-se barulho por baixo da casa, onde algo fez ressoar um bidão de petróleo. Petróleo armazenado para a geleira. Na Beira, em Moçambique, as geleiras não funcionavam a electricidade como os frigoríficos na Metrópole.
O meu Pai muniu-se do cavalo-marinho, única “arma” que possuía, e foi ver o que estava a acontecer. Conseguiu agarrar um braço. Completamente coberto de gordura, deslizou-lhe entre os dedos. Era assim que faziam. Todos nus, cobertos de não sei que gordura, tornava-se impossível agarrá-los.
Lembro-me de ter acendido a luz e de ter ido espreitar através da janela com vidros forrados a rede. Em tudo, tudo escuro, vi apenas um branco de olhos muito brancos a atravessar o portão da casa a grande velocidade.

9 Comentários:

Blogger 125_azul disse...

Um assim, imenso, cheio de gordura, entrou no Hangar do meu pai e desatou a bater em todos os que encontrou pela frente. Negros e brancos, em plena luz do dia. Foram precisos 11 homens, muito inchados e amachucados, para o segurarem e entregarem aos sipaios.E queres saber? Apesar de quase o terem espancado até à morte, nunca contou porque atacou o hangar. E o meu pai (homem de 1,80m)andou de lábio rebentado e queixo esmurrado um par de semanas, bem como os colegas que se atreveram à frente do engordurado...
Beijinhos

terça-feira, setembro 05, 2006 1:02:00 da manhã  
Blogger Periférico disse...

Estes respigos um dia deveriam virar livro!;-)

Beijos

terça-feira, setembro 05, 2006 4:11:00 da tarde  
Blogger JPF disse...

Apoio a ideia do Periférico ! Vamos a isso ?
Bjs

terça-feira, setembro 05, 2006 8:28:00 da tarde  
Blogger Madalena disse...

Laurinha, que medo!!!!!! Também apanhei uma vez um susto, sozinha com a minha mãe numa casa sem gardes , sem nada. Hoje não era um susto, era um aatque cardíaco certamente.
Apoio muuuuuuuiiiiiiito a ideia do Periférico e do JPF! Mil beijinhos

quarta-feira, setembro 06, 2006 1:48:00 da tarde  
Blogger Laura Lara disse...

Azulita
Que horror!
A minha história teve um fim mais feliz.
Beijinhos

quarta-feira, setembro 06, 2006 2:39:00 da tarde  
Blogger Laura Lara disse...

Periférico, Jpf e Madalena
Agradeço as vossas palavras, mas não tenho engenho nem idade para essas coisas.
Beijinhos beirenses

quarta-feira, setembro 06, 2006 2:41:00 da tarde  
Blogger JPF disse...

Ofereço-me para ajudar na compilação e organização (se não for agora e daqui a mais uns tempos). Afinal pode ser a altura de trocarmos de papéis.
Bjs

quarta-feira, setembro 06, 2006 10:09:00 da tarde  
Blogger Isabel-F. disse...

...há quanto tempo eu não pensava nos frigorificos e fogões a petróleo....

beijinhos para ti

segunda-feira, setembro 11, 2006 5:36:00 da tarde  
Anonymous Luis Almeida Pina disse...

Boas recordações, belos tempos.
A nossa Terra está sempre presente, na nossa mente e nos nossos corações.

quarta-feira, setembro 13, 2006 11:13:00 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home