sexta-feira, maio 26, 2006

Histórias Lembradas - XII

Não sei que idade teria o meu Pai.
O fato era de veludo azul escuro, a camisa branca, os sapatos em verniz preto. Tudo em grande cerimónia que era a primeira vez que o menino ia ajudar a rezar a missa, lá na Igreja de Vale de Prazeres, a sua aldeia no sopé da Serra da Gardunha. Ainda rezada em latim: Domine, non sum dignus ut intres sub tectum meum, sed tantum dic verbo et sanabitur anima mea. Todo o texto bem decorado, ao longo de alguns meses de catequese.
Chegada a hora de se ir para a Igreja, dez horas da manhã, e o meu Pai desaparecido.
Onde estaria? O Padre desistiu de esperar. A missa rezou-se sem a sua ajuda. Que vergonha para a família. As horas foram passando. O receio instalou-se. Toda a aldeia decidiu procurá-lo lá pelas veredas da serra.

Encontraram-no. Sapatos esfolados, fato todo sujo. Achara melhor ir às amoras que recheavam abundantemente os bolsos das calças e do casaco. E estava feliz. O que ele pensou não sei. Eu penso que ele não se achou digno de sentir-se coberto pelo mesmo tecto, tendo concluído que a salvação residia num tecto imenso e azul, vindo do infinito e indo para lá.

15 Comentários:

Blogger Isabel Magalhães disse...

Gostei de aqui vir respirar TERNURA! :)

bj. e bom fim de semana.

sexta-feira, maio 26, 2006 5:33:00 da tarde  
Blogger Pitucha disse...

Safadinho, hein?!
Beijos

sexta-feira, maio 26, 2006 6:29:00 da tarde  
Anonymous Anónimo disse...

Olá Laura
Imagino o ar feliz do teu pai mais as amoras!! É uma delícia a história!
Beijo
beirense

sexta-feira, maio 26, 2006 11:54:00 da tarde  
Blogger espumante disse...

Há 9 anos atrás cheguei a saír de Lisboa com a minha júnior, na altura com 11 anos, para comermos amoras da silva, frutos que ela jamais tinha comido. E lá parávamos algures na estrada comendo amoras cheias de pó, de sol, numa das tranches de conhecimento do País que ministrei à miúda.
Lembrei-me por causa do teu post.
Agora uma pergunta maliciosa: - o teu pai contou a história todinha?
:)

sábado, maio 27, 2006 4:03:00 da tarde  
Blogger dakidali disse...

Deliciosa.
Beijinhos

domingo, maio 28, 2006 3:18:00 da manhã  
Blogger 125_azul disse...

Ternura para rechear o domingo de felicidade. Que bom. Boa semana

domingo, maio 28, 2006 11:00:00 da tarde  
Blogger Laura Lara disse...

Isabel
Agradeço a visita.Beijinhos e uma boa semana

domingo, maio 28, 2006 11:57:00 da tarde  
Blogger Laura Lara disse...

Pituxa
De facto, o avô, quando pequeno, era safadinho.
Beijinhos

domingo, maio 28, 2006 11:58:00 da tarde  
Blogger Laura Lara disse...

Beirense Anónima
Não conhecias a história?
Esta e outras eram muito contadas lá em casa.
Beijinhos beirenses

domingo, maio 28, 2006 11:59:00 da tarde  
Blogger Laura Lara disse...

Espumante
A maior parte das histórias do meu Pai foram-me contadas pela minha Avó e por ele próprio.
Beijinhos

segunda-feira, maio 29, 2006 12:01:00 da manhã  
Blogger Laura Lara disse...

Teresa
Chegada da Figueira da Foz, agradeço-te a visita.
Beijinhos

segunda-feira, maio 29, 2006 12:02:00 da manhã  
Blogger Laura Lara disse...

125_azul
Obriga pela visita. Já lá vou retribuir.
Beijinhos

segunda-feira, maio 29, 2006 12:03:00 da manhã  
Blogger Laura Lara disse...

125_azul
Correcção: Obrigada pela visita, claro...

segunda-feira, maio 29, 2006 12:04:00 da manhã  
Blogger Helder Ribau disse...

há blogs com qualidade... este é um deles

segunda-feira, maio 29, 2006 11:57:00 da manhã  
Anonymous Anónimo disse...

Eu adoro amoras, mas de preferência as da minha horta. sabem tão bem.
Bjs
Luh

terça-feira, maio 30, 2006 2:29:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home