quarta-feira, abril 12, 2006

Histórias Lembradas - X

Na Beira, Moçambique

Devia ter uns cinco anos de idade. Pela primeira vez ia ao cinema ver um filme completo. Até então, ia todos os Sábados ao Rex ou ao Olímpia (acho que se escrevia Olympia) ver uma parte daqueles filmes de cento e muitas partes, com bons e maus e onde os bons acabavam sempre por ganhar. Não mais de um quarto de hora. Depois, com um frasco de vidro cheio de “drops” e uma garrafa de coca-cola, ficávamos (nós, as criancinhas) na brincadeira, à espera que os pais acabassem de ver o filme principal.
Mas, finalmente, chegou o meu dia de ver um filme completo. Soube-o com meia dúzia de dias de antecedência. Exultava de alegria e nunca um Sábado demorou tanto a chegar.
Sábado de manhã! Horas de levantar!
O meu corpo cheio de manchinhas vermelhas desfez o meu primeiro sonho.
Varicela. E fazia tanta comichão.
Eu acho que o filme se chamava “O Anjo Azul”. Mais tarde, os meus Pais disseram-me que não era esse o filme, mas nunca souberam dizer-me qual era.
Até hoje, continuo a achar que era “O Anjo Azul”, anjo mau, que me pintou de varicela.
Nunca vi este filme. E não quero vê-lo.
Este foi o meu primeiro desgosto.
Lavei a varicela com uma torrente de lágrimas.

1 Comentários:

Blogger Periférico disse...

Que inoportuna a senhora Varicela! Isso não se faz! ;-)

Beijos

quarta-feira, abril 12, 2006 6:11:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home