quarta-feira, março 01, 2006

Histórias Lembradas - VI

O metropolitano de Lisboa tinha acabado de ser inaugurado.
Estávamos no ano de 1959.
Na estação da Rotunda (Marquês do Pombal), toda a gente que aí se encontrava ficou a saber que aquela senhora tinha vindo de longe com o único objectivo de conhecer o metro e de viajar nele.
Excitadíssima, falava bem alto, explicava que ia descer em todas as estações, que ia ver tudo muito bem visto para depois contar lá na terra. Que ela soubesse – e tinha o aspecto de saber tudo o que lá se passava - ninguém ainda o conhecia e ela seria a única primeira portadora da grande novidade: Já tinha andado no metro.
Um barulho longínquo denunciou a sua aproximação e lá ao fundo do túnel já se vislumbravam dois olhos luminosos que iam aumentando à medida que se aproximavam. Finalmente o propósito da visita chegou e parou na estação.
A reacção da senhora foi um misto de fúria, de decepção e de logro, tudo ruidosamente manifestado.

Mas isto, mas isto, é apenas um combóio!!!

17 Comentários:

Blogger JVC disse...

Que graça! o que será que ela tinha imaginado..

quarta-feira, março 01, 2006 5:37:00 da tarde  
Blogger Torquato da Luz disse...

Divertida história, como sempre bem contada. Um beijo.

quarta-feira, março 01, 2006 6:30:00 da tarde  
Blogger Periférico disse...

Expectativas demasiado altas normalmente redundam em desilusão!

Beijos

quarta-feira, março 01, 2006 6:42:00 da tarde  
Blogger Laura Lara disse...

JVC
Vá lá a gente saber.
Beijinhos

quarta-feira, março 01, 2006 8:06:00 da tarde  
Blogger Laura Lara disse...

Torquato
Obrigada e beijinhos

quarta-feira, março 01, 2006 8:07:00 da tarde  
Blogger Laura Lara disse...

Periférico
Sem dúvida!
Beijinhos

quarta-feira, março 01, 2006 8:07:00 da tarde  
Blogger Carlota disse...

Ponho-me a pensar no que estaria a senhora à espera de encontrar... :)
Beijola Laura!

quarta-feira, março 01, 2006 9:04:00 da tarde  
Blogger Laura Lara disse...

Carlota
Ao fim destes anos todos, ainda me faço essa pergunta.
Beijinhos

quarta-feira, março 01, 2006 10:12:00 da tarde  
Blogger Madalena disse...

Olha, Laura, eu não conseguia imaginar o Metro, que já havia quando vim para cá. Acho que até entendo a admiração da senhora, só não entendo a exuberância. Ficaria melhor a conjecturar de si para si... Mas, se assim tivesse sido, não teríamos esta história tão gira e tão bem contada. Eu não estava à espera deste final. Beijinhos e obrigada pelas tuas histórias.

quarta-feira, março 01, 2006 11:56:00 da tarde  
Blogger luis manuel disse...

De histórias lembradas, de respigos, ou simplesmente aquilo que chamam "post"... admirávelmente podemos saltar mundos, lugares, experiências.
O leite, cuja textura da nata podia ser demasiado "gorda"... as tampinhas dos frascos feitas vem tule, com elástico a obrigar o perfeito ajuste aos objectos... tudo isto ligado a umas baratas únicas.
Como aquele gesto, ainda hoje repetido, de evitar surpresas com espécies atrevidas...
E uma tradição de mascarar, em época de veraneio... apesar de tudo, com roupas e calçado, mais próprios para outras "paragens", mas que apesar de algum desconforto, traziam muita satisfação a quem os usava...
Os parabéns a Bruxelas (não, não é para a Comissão...) que somos convidados a celebrar, e muito bem...
Até uma lembrança, quase comum. Não foi em 1959, talvez em 1965. Claro que era um combóio ! Mas este, era diferente de todos os outros. Inacreditávelmnete, nem possuia uma locomotiva a cuspir fumo, nem fazia aqule assobiar estridente ao chegar á estação. E depois... bem, aquele combio andava mesmo debaixo do chão ! Como é que não podia ser uma coisa fora de comum ? Para quem chegava uns minutos antes à estação do Rossio ou de Santa Apolónia...
Foram muitas as viagens. Ainda hoje me dá um prazer e uma sensação muito agradável. Imprescindível.

Muitos beijinhos Laura

(eu vou acompanhando com entusiasmo estas aventuras)

quinta-feira, março 02, 2006 4:52:00 da tarde  
Blogger Nekynho disse...

As beiras têm sempre um encanto especial. Sobretudo para quem lá nasceu :o)

sexta-feira, março 03, 2006 11:36:00 da manhã  
Blogger Folha de Chá disse...

Que engraçado. A senhora queria uma nave espacial, era? :) :) :)

sexta-feira, março 03, 2006 1:59:00 da tarde  
Blogger Laura Lara disse...

Madalena
A primeira vez que andei de metropolitano foi em Londres, em 1954, e ainda me lembro do cheiro que ainda persistia desde o tempo em que andava a carvão e das correntes de ar, devidas, julgo, aos vários patamares sobrepostos.
Beijinhos

sexta-feira, março 03, 2006 7:50:00 da tarde  
Blogger Laura Lara disse...

Luís Manuel
Que texto bonito. Obrigada e beijinhos

sexta-feira, março 03, 2006 7:52:00 da tarde  
Blogger Laura Lara disse...

Nekynho
Sem dúvida. Aparece mais vezes.
Beijinhos

sexta-feira, março 03, 2006 7:53:00 da tarde  
Blogger Laura Lara disse...

Folha de Chá
Tudo menos um combóio!
O que terá ela imaginado mesmo?
Beijinhos

sexta-feira, março 03, 2006 7:54:00 da tarde  
Blogger lilla mig disse...

Eh, eh! :)

segunda-feira, março 06, 2006 2:21:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home