quarta-feira, fevereiro 01, 2006

Histórias Lembradas - IV

Estava o meu Pai a brincar, em pequenino, lá na sua aldeia, quando descobriu, na parede da casa, lá em cima, mesmo por baixo do beirado, um buraco. Logo pensou tratar-se de um ninho. Escadote preparado, trepou-o, munido de um pau. Escarafunchou , escarafunchou, e do meio de palhas, cotão e lixo, o que é que emerge?
Três dobrões em ouro!

6 Comentários:

Blogger Folha de Chá disse...

Mas que grande sorte. :) Um tesouro num buraco é de romance. :)

quarta-feira, fevereiro 01, 2006 8:06:00 da tarde  
Blogger Carlota disse...

Bons velhos tempos!
É que é muito pouco provável acontecer algo de semelhante hoje em dia.
Beijola.

quarta-feira, fevereiro 01, 2006 10:33:00 da tarde  
Blogger Pitucha disse...

Vou já começar a escarafunchar...
Beijos

quarta-feira, fevereiro 01, 2006 10:53:00 da tarde  
Blogger Xana disse...

Ahá! Mas quando são os netos a escaranfuchar qualquer coisa há zanga, ai há há|

quarta-feira, fevereiro 01, 2006 11:24:00 da tarde  
Blogger Madalena disse...

Há o factor sorte, no meio disto tudo. Mas a curiosidade natural é a mãe de muita riqueza. E quem diz riqueza, diz saber. Um beijinho, Laura.

quinta-feira, fevereiro 02, 2006 9:23:00 da manhã  
Blogger Periférico disse...

Isso é que foi achar um tesouro!:-)

A próxima vez que vir um buraco no tecto também vou escaranfuchar... quem sabe...;-)

Beijos

sexta-feira, fevereiro 03, 2006 6:38:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home