sexta-feira, julho 01, 2005

Respigos de África - III

Um tio meu era administrador de circunscrição no Búzi, em Moçambique. Dentre as várias atribuições que lhe estavam conferidas, a judicial era uma delas. Pouco tempo depois de ocupar o cargo, teve que resolver um milando. Como, nessa altura, ainda não conhecia a língua da região, impôs-se a ajuda dum intérprete. Reunidas as partes, cada uma começou a dizer de sua justiça. O tempo ia passando, ia passando, sem que nada lhe fosse explicado, na nossa língua, até que o meu tio, já admirado, perguntou ao intérprete:
- Mas, então, o que se passa? O que é que eles estão a dizer? Porque não traduzes?
Resposta rápida do intérprete:
- Patrão, eles ainda não disseram nada; por enquanto só falaram!!

5 Comentários:

Blogger Pitucha disse...

Ora, há muito boa gente na nossa praça que padece desse problema...
;-)

sexta-feira, julho 01, 2005 4:13:00 da tarde  
Blogger Madalena disse...

Dizer é dizer... falar é falar...
E o milando? Resolveu-se?
Beijinhos, Laura!

sábado, julho 02, 2005 12:02:00 da manhã  
Blogger Incompetente disse...

É!
"Palha"!
E mais não disseram.
Como poderia o pobre do intérprete traduzir fosse o que fosse?!

É um dos problemas actuais deste país. Fala-se muito, mas diz-se pouco. Tão pouco!!!

Beijo incompetente!

domingo, julho 03, 2005 9:50:00 da tarde  
Blogger António disse...

A doença já chegou a África?
Então deve ser uma pandemia.
Jinhos

quarta-feira, julho 06, 2005 2:03:00 da tarde  
Blogger Bárbara Vale-Frias disse...

Estou deliciada!

Por aqui há o mesmo mal... eles falam, falam, falam, falam e não dizem nada ;)

terça-feira, setembro 06, 2005 9:32:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home