segunda-feira, junho 27, 2005

Respigos de África

Depois de ter lido as “Histórias de Moçambique”, do Espumante, peguei no abre-latas da Madalena, abri a minha lata de recordações de África e tirei uma, que calhou ser esta:
A cidade da Beira fica situada abaixo do nível do mar. A nossa casa na Ponta Gêa, em velho estilo colonial, era, portanto, como todas as outras, nessa altura, construída sobre pilares. Lembro-me de que era aí, nessa parte inferior, que o mainato engomava, que se arrecadavam os bidões de petróleo, para funcionamento da geleira (sim, os frigoríficos trabalhavam a petróleo que a electricidade faltava muito), que tentava dedilhar a marimba e que, entre outras coisas, se armazenavam as garrafas de vinho, idas da Metrópole (assim se se designava o Continente).
Sempre que necessário, o meu pai pedia ao moleque (Flanela de seu nome), que fosse buscar uma garrafa de vinho.
Ainda ouço a voz do meu pai: - Flanela, vai lá a baixo, cacecai maningue, e traz uma garrafa de vinho. Olha, mas vais a assobiar todo o tempo. Não paras de assobiar.
E assim a ordem era sempre executada ao som de música!
Quem viveu em África, já adivinhou a razão desta excentricidade.
Tudo o que contenha álcool serve para beber, desde o puro da farmácia até uma qualquer água-de-colónia.
E o bom do Flanela, se não tivesse a boca ocupada com o assobio, beberia parte do vinho, que faria substituir por água da chuva. Água da chuva, que era a que consumíamos, mas esse já será outro respigo.

5 Comentários:

Blogger Madalena disse...

Ó Laura, que bonita história. Eu não conheço a Beira, mas o meu pai e a "minha" Mariazinha viveram lá os últimos anos de África e casaram lá. É bom ouvir histórias da Beira.
Neste caso, aplica-se mais o saca-rolhas do que o abre-latas!!!
Beijinhos graaaaaaaaandes para ti!

segunda-feira, junho 27, 2005 9:45:00 da tarde  
Blogger t-shelf disse...

Este tipo de histórias são as únicas que conheço da África contadas por uma tia que está agora nos seus 70s e que as conta como ninguém!
beijinhos Laura e conta mais

terça-feira, junho 28, 2005 1:01:00 da manhã  
Blogger lilla mig disse...

Muito gira a história! Não posso deixar de sentir uma certa inveja das vossas histórias de África! Beijinhos grandes! :)

terça-feira, junho 28, 2005 10:15:00 da manhã  
Blogger Laura Lara disse...

T-shelf
Convence lá a tua tia a partilhar as histórias com as pessoas daqui. Eu adoraria.
Beijinhos

quarta-feira, junho 29, 2005 11:15:00 da manhã  
Blogger Bárbara Vale-Frias disse...

Esta fez-me lembrar uma gira que minha Mãe conta.

Os criados roubavam um pouco de tudo da despensa para levarem para a palhota e por isso uma senhora amiga, quando vinha das compras do mês, costumava dizer aos seus criados:

- Rouba, mas rouba pouco!

terça-feira, setembro 06, 2005 9:38:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home