quarta-feira, maio 18, 2005

Ainda Vitorino Nemésio, na sequência de comentário da Madalena

Foi meu professor de Literatura Portuguesa na Faculdade de Letras de Lisboa. Recordo-me da primeira aula que ministrou ao meu curso, no ano de 1959. Em jeito de sumário, começou por dizer que ia falar de Cantigas de Amigo, de Amor e de Escárnio e Maldizer. Quando, ao fim de 50 minutos, a aula terminou, havia tecido uma elaborada teia de absorventes considerações que, num maravilhoso e bem urdido esquema, terminou em Antero de Quental. Assim era o mestre “que parecia não preparar as suas lições”.
Não assisti à sua última aula, proferida em 9 de Dezembro de 1971, no Anfiteatro 1 da Faculdade de Letras de Lisboa. Tenho pena!

4 Comentários:

Blogger Pitucha disse...

Eu só me lembro vagamente do programa da televisão "se bem me lembro" ainda no tempo da TV cinzenta!
Um beijo

quarta-feira, maio 18, 2005 5:09:00 da tarde  
Blogger t-shelf disse...

Eu também tenho imensa pena de não ter conhecido alguém que se me afigura inspirador, mas em 1971 ainda não era nascida. Beijinhos Laura e obrigada pelas recordações da FLUL.

quarta-feira, maio 18, 2005 9:51:00 da tarde  
Blogger Madalena disse...

Eu não assisti à aula... Como disse no comentário, lembro-me bem desse dia, lembro-me dele com um imenso sobretudo castanho. Lembro-me que o achei feliz e talvez estivesse.
Um beijinho, Laura!

quinta-feira, maio 19, 2005 12:13:00 da manhã  
Blogger Madalena disse...

Já comprei o Mia Couto.
Gostei também da tua lição de Aristóteles. Só me lembro do princípio da tragédia: terror e piedade!
beijinhos

quinta-feira, maio 19, 2005 12:15:00 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home