segunda-feira, abril 25, 2005

A minha casa e eu

A minha casa e eu

Antigamente este título seria naturalmente “Eu e a minha casa”. Nessa altura eu dominava a casa. As coisas estavam onde eu queria. Tudo se mantinha arrumado. Tudo tinha a sua lógica. Presentemente a casa obviamente domina-me. Tudo está por todo o lado e dificilmente sei onde está o que quer que seja. E mais, não tenho lugar para pôr nada. Passo a explicar: moro numa casa de cerca de 200m2 de área. Tem uma sala que, antigamente, era uma sala normal – sofás, maples, mesas, móveis e cadeiras, cada peça com o seu uso vulgar; hoje não, os sofás, os maples e as mesas têm livros, revistas, desenhos dos netos, canetas, tesouras, brinquedos e as coisas mais imprevisíveis. Os móveis ainda vão conseguindo escapar à voragem da ocupação. Num canto do chão, um vídeo avariado e um CDI fora de moda aguardam não sei bem que destino. Tem um escritório que, antigamente, acolhia o que era suposto conter. Estantes, uma papeleira, uma secretária, uma mesa de jogo, maples e cadeiras, uma mesa de apoio, tudo ordenado e lógico. Hoje a secretária ostenta um computador, uma impressora com fotocopiadora e fax, mais uma impressora a preto e branco e nenhum espaço para escrever à mão. Por trás da secretária um emaranhado, diabolicamente urdido, de fios eléctricos, qual cortina impeditiva da passagem do aspirador para a respectiva limpeza de pó. Em cima de um dos maples jaz o saco do tapete de arraiolos que comecei a fazer há coisa de um ano, porque não vislumbro outro local para o colocar. Na mesa de jogo, pilhas de livros que já não há espaço nas estantes, nem paredes vagas para pôr mais estantes... e num canto do chão, um monitor de televisão avariado e uma televisão à espera de ser consertada. A cozinha é a cozinha e, por enquanto, tudo bem; mas, ao lado da cozinha há o chamado quarto e casa de banho da criada e, hoje, que só tenho empregada a dias, o quarto transformou-se em quarto de arrumos (mais correctamente em quarto da confusão) e a casa de banho em lavandaria, com permanentes montes de roupa para lavar, não obstante o uso intensivo da máquina de lavar roupa. Passemos aos quartos: o meu quarto é o único onde não reina a confusão. Os restantes três, para além da mobília adequada – cama, mesinha de cabeceira, roupeiro, estantes, escrivaninha, cadeira e, num caso, um maple – contêm montes de brinquedos, dezenas e dezenas de bichos de peluche, livros, jogos, televisão, aparelhagem de alta fidelidade, videos, DVD, garagens, pistas, cavalos de pau, carrinhos de bonecas, camas de bonecas, casinhas de bonecas e eu sei lá que mais, até um microfone e uma bola para receber socos.
Perante esta pálida descrição da minha casa, tenho ou não razão quando digo que ela me subjuga? Que me entristece? Mas não tanto pelo seu aspecto algo caótico, mas pelo seu significado? Será que os meus três filhos, que não tinham nem um décimo da tralha, nem um décimo da roupa, não foram mais felizes quando aqui viveram, do que, hoje, os meus dois netos, com um tal excesso de coisas, que não gozam nada, que não brincam com nada? Esta sociedade leva-nos onde? Não é só a casa que me domina. O mundo domina-me. E, quando tento reagir ao que me rodeia, sinto-me qual D. Quixote a lutar contra moinhos de vento. Tudo não passa de vento...

Obrigada Pitucha, obrigada Madalena, obrigada Espumante. Já não sou satélite. Já tenho o meu blog. Talvez ajude, se conseguir dominá-lo!

7 Comentários:

Blogger lilla mig disse...

Bem-vinda! Também sou novata cá na blogosfera! :)

E percebo perfeitamente essa sensação da casa a dominar, se bem que tenho bastante menos espaço para o meu caos! :)
Beijinhos

terça-feira, abril 26, 2005 3:28:00 da tarde  
Blogger Pitucha disse...

No fundo, no fundo as casas é que são pequenas. Por definição...

terça-feira, abril 26, 2005 5:09:00 da tarde  
Blogger Laura Lara disse...

Lilla, obrigada e bem-vinda.

terça-feira, abril 26, 2005 7:12:00 da tarde  
Blogger espumante disse...

Finalmente... :)
Long live o Sendadasbeiras e votos de que ele te traga muita satisafação.
E obrigado pelos teus frequentes comentários.

quarta-feira, abril 27, 2005 5:03:00 da tarde  
Blogger t-shelf disse...

Ora bolas só agora me apercebi que deixaste de ser satélite... Bem-vinda e longa vida ao teu blogue ( que decerto irá ser um gosto renovado ler diariamente). beijinhos

quarta-feira, maio 11, 2005 7:13:00 da tarde  
Blogger Laura Lara disse...

Obrigada t-shelf,
Beijinhos

quarta-feira, maio 11, 2005 7:29:00 da tarde  
Blogger Madalena disse...

Cá estou, tarde e fora de horas a saudar o teu primeiro passo...
Que bom poder ler quem nos lê!
Beijinhos para ti...
Quanto á casa, é melhor pensares noutra coisa, isto é, falarmos de outra coisa...

sexta-feira, maio 13, 2005 6:39:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home